Google
 

Sunday, December 30, 2007

Para refletir nesta passagem de Ano Novo


Estava olhando este blog e percebi que escrevi nos últimos anos uma mensagem ou reflexão de fim-de-ano. Achei isto super interessante, principalmente porque os dois textos a que eu eu estou me referindo foram na verdade sermões que eu preguei - este, no final do ano de 2005 e este, no início de 2007.

Contudo, neste final de ano de 2007, eu não irei pregar no culto de passagem de ano e até onde eu sei, também não irei pregar nas primeiras duas semanas de Janeiro (pelo menos), o que me tiraria a oportunidade de escrever um sermão sobre este tema e depois aproveitá-lo aqui no blog.

O que faço então? Deixo para escrever apenas quando for pregar novamente sobre este tema(neste caso apenas no final de 2008) ou escrevo um texto agora apenas para ser postado aqui?

Bom, para manter a tradição, vou escrever uma pequena reflexão para este final de 2007 início de 2008 (tem que ser pequena mesma pois tenho que estudar). Lá vai:

Muitas coisas aconteceram neste ano de 2007 que me chamou a atenção em relação ao comportamento e o tratamento dispensado entre os homens (e mulheres também, claro!). Tenho visto como a vida do próximo está a cada dia que passa perdendo o seu valor.

Infelizmente valorizamos tudo que um ser humano possa conquistar, ou seja, seus bens, seus apetrechos, suas bugingangas, seu poder, sua grana, porém, temos dificuldade de valorizar o ser humano por ser ele alguém importante para Deus e consequentemente, para nós também.

As amizades hoje em dia são negociáveis, medidas pela oferta e procura, interesseiras, valorizadas pelas coisas que posso receber em troca. Está cada vez mais difícil encontrar pessoas que não encontram nas leis de Mercado a motivação para tudo na vida. No Mercado, a pessoa vale apenas aquilo que ela possui. Se ela gasta pouco ela vale pouco, se ela gasta muito ela vale muito. Se ela tem um bom crédito, ela tem importância, se ela tem um mau crédito, ela não vale nada. Se ela consome tudo que aparece em sua frente satisfazendo a sua doença do materialismo, ela tem acesso à tudo ou quase tudo, se ela procura não se submeter às tentações do consumismo, ela terá dificuldade de ser aceita e ter acesso à alguns lugares.

Parece que tudo que a Bíblia nos ensina em relação à forma que devemos agir com relação ao nosso próximo, temos feito o oposto, seguindo o mesmo modelo da sociedade.

Nós, por outro lado, devemos buscar na Bíblia o conselho e a sabedoria de Deus para o relacionamento interpessoal.

Por exemplo, a Bíblia está recheada de passagens que nos manda agir em amor e desinteresse em relação ao nosso próximo.

Vemos isso no livro de Romanos:

 Rom. 12:13 - 20 – acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis; alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos; a ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas dignas, perante todos os homens. Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.

Rom. 14:19, 21 - Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua… É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou offender ou se enfraquecer].

Rom. 15:1-3 - Ora nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Portanto cada um de nós agrade ao seu próximo, visando o que é bom para edificação. Porque também Cristo não se agradou a si mesmo, mas como está escrito: Sobre mim caíram as injúrias dos que te injuriavam. 

No livro de 1 Coríntios:

1 Cor 8:13 - Pelo que, se a comida fizer tropeçar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para não servir de tropeço a meu irmão.

1 Cor 10:24 - Ninguém busque o proveito próprio, antes cada um o de outrem.

No livro de 2 Coríntios:

2 Cor. 1:3, 4 - Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.

2 Cor. 7:1–4 - Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus. Recebei-nos em vossos corações; a ninguém fizemos injustiça, a ninguém corrompemos, a ninguém exploramos. Não o digo para vos condenar, pois já tenho declarado que estais em nossos corações para juntos morrermos e juntos vivermos. Grande é a minha franqueza para convosco, e muito me glorio a respeito de vós; estou cheio de consolação, transbordo de gozo em todas as nossas tribulações.

2 Cor. 12:14–16 - Eis que pela terceira vez estou pronto a ir ter convosco, e não vos serei pesado, porque não busco o que é vosso, mas sim a vós; pois não são os filhos que devem entesourar para os pais, mas os pais para os filhos. Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas. Se mais abundantemente vos amo, serei menos amado? Mas seja assim; eu não vos fui pesado; mas, sendo astuto, vos tomei com dolo.

2 Cor. 13:9 - Pois nos regozijamos quando nós estamos fracos e vós sois fortes; e isto é o que rogamos, a saber, o vosso aperfeiçoamento.

No livro de Efésios:

Ef. 4:2 - com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor 

No livro de Filipenses:

Filip. 1:3–5 - Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós, fazendo sempre, em todas as minhas orações, súplicas por todos vós com alegria pela vossa cooperação a favor do evangelho desde o primeiro dia até agora.

Filip. 1:9, 10 - E isto peço em oração: que o vosso amor aumente mais e mais no pleno conhecimento e em todo o discernimento, para que aproveis as coisas excelentes, a fim de que sejais sinceros, e sem ofensa até o dia de Cristo.

No livro de Colossenses:

Col. 1:3 - Graças damos a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, orando sempre por vós.

Além de todos estes outros versículos (apenas para citar o Novo Testamento).
1 Tess. 1:3, 4; 1 Tess. 2:7, 8, 11, 12, 17–20; 1 Tess. 3:5, 7–10, 12; 1 Tess. 5:8, 11, 14; 2 Tess. 1:4; 1 Tim. 1:5; 1 Tim. 5:9, 10; 1 Tim. 6:2, 11; 2 Tim. 1:3, 4, 8; 2 Tim. 2:10; Filem. 8, 9, 12, 16–21; Heb. 5:2; Heb. 6:9, 10; Heb. 13:1–3, 22; Tg. 1:27.

Portanto, temos base suficiente para não seguirmos o caminho errado. Temos razões suficientes para olharmos para nossos irmãos e demais pessoas com olhos de misericórdia e amor.

É hora daqueles que se dizem seguidores de Jesus, mostrar sua fé no Salvador através da forma como ele/ela trata as pessoas em geral. Não é isso que Jesus nos diz em João 13:35 (Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros)?

Que em 2008 possamos mostrar frutos de conversão através dos nossos relacionamentos. Que possamos amar não apenas de palavra, mas de fato e em verdade. Que possamos refletir o amor de Deus para esta sociedade azeda e interesseira. Que possamos ser verdadeiramente sal e luz, não porque nos vestimos diferentes ou frequentamos todas as reuniões de nossa igreja (se é que isto ainda existe). Mas que sejamos sal e luz pela forma como tratamos os nossos semelhantes.

Um Feliz Ano Novo a todos!

Rodrigo Serrão

1 comment:

Noiva do Ro said...

Lindo o seu texto amore!
Que Deus continue te enchendo de muita sabedoria!
Desejo um lindo 2008 para vc, seus estudos, amigos e para nós!
Bjos e saudades!