Google
 

Thursday, February 23, 2006

Cansado

Estou cansado. Cansado fisicamente pelo tanto que leio. Parece que ler por um longo período de tempo tem o poder de cansar mais que um dia inteiro de exercícios físicos. Não estou frustrado com meu curso (Teologia), mas cansado. Na verdade, as vezes bate uma frustração-zinha lá no fundo da alma. As vezes me pergunto se não já sei o suficiente para falar sobre o Evangelho a toda criatura. As vezes me pergunto para que serve todo o conhecimento ensinado em Seminários. Gostaria de saber qual a porcentagem do uso de tudo aquilo para a vida prática, para os problemas reais da vida.
O conhecimento acadêmico tem o poder de seduzir as pessoas. Essa sedução se dá porque o conhecimento trás poder para quem o possui. E isto nem sempre me seduz!
De fato, resolvi aplicar para fazer uma viagem missionária neste verão, para permanecer vivo durante o meu tempo de Seminário, pois caso contrário, terei que encomendar um caixão para enterrar a minha alma. E foi esta a resposta que dei ao meu líder de grupo, no final-de-semana passado, quando ele me perguntou o porquê de eu querer ir à essa viagem missionária. Minha resposta foi simples e clara – Eu quero sobreviver ao sair do Seminário!!
Tenho me convencido mais e mais que não faz sentido se entregar a um chamado (ao ministério), se eu só fico estudando o dia inteiro (a carga de coisas para se estudar é tão grande que não se tem tempo para quase mais nada). Deixei de ver sentido nesta overdose de assuntos e teorias, e estou vendo que falta mais da prática dentro das instituições de ensino teológico.
Porém, quando digo prática, não me refiro a ministérios de igreja do tipo, professor de EBD, ministro de louvor, diretor de coral, ministério infantil, etc. Não vejo como prática algo que se limita às quatros paredes de um prédio. Acho que seremos muito mais úteis – e aqui falo aos seminaristas – do lado de fora das igrejas. Principalmente porque tudo que lá (igrejas) acontece segue uma rotina que mata qualquer um, principalmente aqueles quem já vivem em uma rotina permanente de estudos. Creio que o chamado de Deus para minha vida é para fora, para o mundo, para as pessoas “doentes”. Não que os de dentro também não estejam doentes (na maioria das vezes estão pior que os de fora). O que adianta sal dentro do saleiro e luz dentro de uma gaveta?
Tenho lutado cada dia mais contra a idéia de sistemas religiosos, principalmente aqueles que abusadamente falam sobre o Santo nome de Jesus (não acredito que Jesus veio à Terra para fundar uma religião). Não tenho visto nenhum sentido em sistemas que monopolizam o Soberano, clamando seguirem o Senhor Jesus (que é a encarnação do amor), mas que possuem uma história marcada de sangue, intolerância, guerras, desamor, ódio, manipulação, morte, etc. Essa é a história da “igreja” que tanto me entristece e me faz pensar milhões de vezes, se foi para isso mesmo que eu fui chamado. Sim, porque assim como todo sistema humano, uma vez dentro, ou você se “molda” a eles, ou inicia-se uma revolução, mas que com certeza não tem resultados positivos no final. Por outro lado, não me vejo fazendo outra coisa, que não seja ligado à pregação e ensino da Palavra.
Eu creio que ser discípulo de Jesus é outra coisa. Creio que o verdadeiro discípulo põe as mãos no barro da vida, e as suja! Ele se identifica com os esquecidos, os pecadores (como se houvesse alguem que não o fôsse), com os da periferia, com os pobres, com as viúvas, com os marginalizados, etc. Tiago disse no seu livro “A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.” (Tg 1.27).
O sociólogo Tony Campolo disse aqui onde eu estudo, que deveríamos ter cuidado com o pacote que é vendido em Seminários, pois nós não fomos chamados para fazer parte de instituições, fomos chamados sim, mas para pregar o Reino de Deus a toda a criatura. Ele disse que se tivéssemos que escolher entre título (diploma) e testemunho, que preferíssemos escolher testemunho.
O problema é que neste sistema mundano o título é a chave para se conseguir um “emprego”. Especialmente aqui nos EUA, onde a igreja é de fato uma grande empresa, onde tudo gira em torno de números, orçamentos e controle de qualidade.
Não sei o que me aguarda no futuro!
Minha oração é que eu chegue ao final da minha vida com a mais absoluta certeza de que não vendi a minha alma, e que consegui tanto o título, quanto o testemunho.

Rodrigo Serrão

5 comments:

Adriana Simões said...

Muito interessante seu texto Ro!!

Uma coisa te digo, se Deus te deu a oportunidade de está estudando nesse momento aí, é pq Ele tem algo para tua vida em relação aos seus conhecimentos.Eles nunca serão demais.

Como sabes, estou começando agora minha vida acadêmica nesta área, e por está pagando disciplinas de vários períodos, percebi a empolgação de cada turma, ainda não deu para analisar de forma individual, é claro.Mas é engraçado como as pessoas lidam com o passar do tempo com a teologia. Algo que vi muito essa semana dizer lá no seminário, é que não devemos ficar apenas nas igrejas, dentro de "4 paredes" como vc mesmo citou, pois, o mundo necessita muito mais da palavra de Jesus, do que aqueles que já a tem de certa forma. Que quando terminamos o semináro temos que está prontos para servir e não para sermos servidos, o que a maioria dos téologos e missionários terminam fazendo.

Semana passada eu realmente tinha percebido você bem cansado, eu até te disse isso, mas não se entregue a nada disso, és competente, esforçado e dedicado,e sei que fazes o que gosta. Deus há de te dá toda a disposição e força necessária para vencer mais essa etapa, tenho orado incessantemente pela tua vida acadêmica, e creio que outras pessoas fazem o mesmo.

Não nego que já sabes muito, mas, ainda tens capacidade para muito mais. Vá em frente Ro, de certa forma já está se vencendo mais um semestre, e assim passará e breve olharás para trás e verás como valeu a pena.

Um beijo carinhoso e acredite que Deus tem um plano lindo e especial para essa sua loucura de vida!! :)

Dri

Anonymous said...

Oi Rodrigo

Eu estava no blogg da Adriana e olhando os orkuts da vida quando entrei na tua comunidade e vi teu blogg, pelas fotos do orkut da Adriana vi que você é o dono do coração dela.

Bem, dei uma olhada nos teus textos e você também escreve muito bem,parabéns, admiro pessoas assim.
Deixo aqui também os parabéns pela bela namorada que tens,não admiro a Adriana de hoje, e te digo, é o tipo de mulher que todo homem sonha,você pode até está achando estranho eu falar isso, não nos conhecemos, mas, é que tive um amigo que se apaixonou por ela, nem sei se ela lembra disso, e coitado, falou que era mais fácil se aproximar da Julia Roberts do que da Adriana,pois, ela consegue colocar uma película invisível, onde enfeitiça o povo e se torna intocável.Quando te vi no orkut dela, fiquei surpreso, sabendo que alguém a conquistou de vez. Desculpa escrever tudo isso, apenas achei importante te elogiar por ter uma tremenda gata.

Continue escrevendo assim, vais longe com tanto talento.

Aadriana Simões said...

POR FAVOR, QUEM DEIXAR COMENTÁRIOS NO BLOGG DO RODRIGO OU NO MEU SE IDENTIFIQUE. NEM EU, NEM O RODRIGO PRECISAMOS OU GOSTAMOS DE COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.E DETENHA-SE DE PREFERÊNCIA AO QUE NÓS ESCREVEMOS.

OBRIGADA POR RESPEITAR

Gio said...

Nem sei se vai ler o comentário, mas gostei tanto do texto anterior que resolvi lê este também. Olha só Rodrigo, acredito que o seu desgaste psíquico é muito grande pelas milhares de coisas que vc precisa estudar, e acho que seja normal, se perguntar " será que realmente é preciso tanto estudo para falar acerca de uma mesagem tão simples que é a mensagem do evangelho?"
Acredito que esses questionamentos são frutos do próprio desgaste, e que, na verdade, todo conhecimento que vc está adquirindo lhe será muito útil ao longo de sua vida.
Jesus te chamou sim, não para estar preso dentro da Igreja, até porque a igreja somos nós! E sendo igreja nossa obrigação não é a de edificar (construir mais e mais templos), mas a de proclamar.
Fique firme na sua caminhada meu irmão. Estamos orando por você.

Rodrigo Serrao said...

Oi Gio, que surpresa agradável.
Pois é, esse texto é meu desabafo. Creio que muitas vezes eu ajo como uma panela de pressão, que quando a pressão está muito forte, eu alivio escrevendo as angústias da minha alma. Obrigado pela visita aqui no meu blog e pelas orações também, e sempre que puder, apareça por aqui, pois sempre que posso eu atualizo.
Beijos

Rodrigo Serrão