Google
 

Sunday, October 10, 2010

Qual o seu dom?

Série: O Mistério da Igreja
Sermão: Efésios 4:7-16
Pregador: Pr. Rodrigo Serrão




Introdução
Você já viu alguém tentar exercer uma atividade e as pessoas dizerem “Você nasceu para isto” ou, “Acho que você está na área errada”. Se você me ver tentando jogar futebol, você vai entender o que estou falando. Eu não nasci para jogar bola. Eu posso até começar bem, mas não conseguirei enganar meu time por muito tempo. Eu não sei driblar, não gosto de cabecear, não sei fazer passes. Ou seja, sou o cara errado no lugar errado.
Agora, se você me der uma prancha de surf aí a história muda. Comecei a surfar quando eu tinha 13 anos e rapidamente tomei gosto e aprendi a me levantar. Aos 15 anos eu viajava pelas praias do litoral paraibano e do rio grande do norte pegando onda. Mesmo sabendo que eu não era o melhor, mas eu sabia que daquilo eu entendia. Eu sabia e ainda sei surfar. E além de saber, eu gosto de surf, tenho prazer neste esporte.
Saindo do esporte e entrando nas profissões. Existem profissões que você sabe que não nasceu para elas. Por exemplo, eu não nasci para ser músico, mas especificamente cantor. Não sei cantar, não sou afinado e não tenho técnica. Ou seja, se eu for cantar aqui, ficarei rapidamente roco e espantarei qualquer visitante que por ventura me ouça cantar. Contudo, se você quiser que eu dê uma aula, seja de inglês ou de teologia, eu posso não ser o melhor, mas com certeza, estarei bem mais a vontade e farei com gosto. Se você me chamar para pregar, eu posso não ser o melhor pregador, mas com certeza terei um prazer enorme em abrir a Palavra de Deus e começar a falar sobre ela.
Essa não é somente a minha experiência, mas a de todos vocês aqui. Cada um de nós recebeu dons e talentos de Deus para serem executados em nossa comunidade, ou seja, aqui no CEDIN, como também lá fora, para servir a sociedade em geral.
E é sobre isto que Paulo vai falar nesta passagem. A distribuição dos dons para o serviço cristão.


Elucidação Bíblica
Vimos até agora, Paulo escrevendo à igreja sobre o que Jesus havia feito por eles. Vimos a obra cósmica de Jesus e todo as bênçãos que nos estão disponíveis nas regiões celestiais. Contudo, a partir deste capítulo, Paulo vai entrar no resultado prático de toda obra de Cristo. O que Cristo fez na cruz e todo o plano divino tem resultados em nosso dia-a-dia. Por isso que podemos dizer que o livro de Efésios começa no céu, mas termina nos nossos lares, nos nossos relacionamentos, nos nossos negócios, e em todas as áreas de nossas vidas aqui na terra.
Qualquer um que se diz cristão, precisa mostrar em sua vida a mudança que a obra de Cristo executa na pessoa. Todo o cristão precisa viver “de maneira digna da vocação que recebeu” (v.1). Ninguém está isento.
Neste trecho que lemos, Paulo irá mostrar como esta mudança de vida está totalmente ligada ao trabalho de Jesus na distribuição dos dons para a igreja. Existem várias listas de dons espirituais na Bíblia. Por exemplo:


1 Cor 12:7-10: “A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para o proveito comum. Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra de conhecimento; a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; a outro a operação de milagres; a outro a profecia; a outro o dom de discernir espíritos; a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação de línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer.”


1 Cor 12:28-30: “E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura são todos apóstolos? são todos profetas? são todos mestres? são todos operadores de milagres? Todos têm dons de curar? falam todos em línguas? interpretam todos?”


Romanos 12:4-9: “Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com zelo; o que usa de misericórdia, com alegria.”


1 Pedro 4:10-11: “servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale como entregando oráculos de Deus; se alguém ministra, ministre segundo a força que Deus concede; para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, ma quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém.”


Cada lista mostra que os dons vêm de Jesus que distribui como quer, de forma variada, com vistas no aperfeiçoamento dos santos e o serviço cristão.
Aqui em Efésios não é diferente. Paulo vai também fazer uma lista de dons. Contudo, Paulo tem em mente um fator especifico com relação a esta lista. Ele listou dons específicos para aqueles que preparam os santos para a obra do ministério. Claro que todo dom tem que ser usado no corpo, mas estes que Paulo menciona aqui têm um propósito bastante claro, “preparar os santos para a obra do ministério.”
Neste contexto, o desejo de Paulo é mostrar ao povo 3 coisas acerca dos dons.
1. De onde procedem os dons
2. Quais são os dons que preparam os santos para o ministério
3. Quais os resultados práticos para a igreja quando estes dons são usados.
Paulo começa então mostrando a procedência dos dons. É de fundamental importância para uma igreja conhecer a fonte de onde vêm todas as bênçãos.


1. De onde procedem os dons (vs 7-10)
Paulo começa falando da graça que foi dada a cada um de nós. Mesmo não se referindo diretamente à palavra dom que em grego é charismata (dom), Paulo está se falando deles. Paulo diz que esta graça ou este dom foi dado a cada um de nós por Cristo. Ou seja, os dons procedem de Jesus.
E porque Jesus tem autoridade para distribuir os dons?
Porque Ele subiu em triunfo às alturas...
Paulo neste momento cita o Salmo 68:18. É interessante notar que este Salmo 68 era lido nas sinagogas sempre associado ao Pentecoste judaico. O Pentecoste na verdade comemorava a entrega da lei ao povo Judeu. Portanto, ao citar este Salmo, Paulo está fazendo um paralelo entre Moisés recebendo a lei e dando a Israel com Cristo recebendo o Espírito e dando à igreja.
Portanto o paralelismo aqui é entre receber e entregar. Moisés recebeu a lei e entregou ao povo, Jesus recebeu o Espírito e deu à igreja.
Depois de citar o Salmo, Paulo vai explicar que a razão dele ter subido foi porque antes ele havia descido. Aqui alguns podem achar um paralelo com 1 Pedro 3:19 que diz que Jesus após morrer pregou aos espíritos aprisionados.
Contudo, os reformadores entendiam que descer às profundezas da terra significava tão somente a encarnação de Cristo na terra. Jesus suportou grandes humilhações como homem e isto se agravou ainda mais pelo fato dele ter morrido uma das mortes mais humilhantes que havia naquela época – a morte de cruz.
Portanto, Jesus é o único que pode distribuir os dons, pois foi Ele que desceu e foi humilhado, foi morto e ressuscitado ao terceiro dia. Foi Ele que em triunfo foi elevado à presença do Deus Pai e de lá deu o Espírito à igreja para habitar dentro dela e os dons para capacitar e edificar seu povo.
A pergunta que fica para nós então é: Se Jesus distribui os dons para a Sua igreja, ou seja, para aqueles que o receberam e tem o Espírito, qual o seu dom?
Não há nenhum cristão que não possua um dom. Seu dom pode não estar nesta lista de Efésios. Pode não estar na lista de Romanos, pode até não está em nenhuma destas listas (pois os dons não se limitam ao escritos aqui), contudo, uma coisa é certa, o cristão possui pelo menos um dom vindo de Deus.
É importante entendermos que os dons são extremamente variados. Encontramos várias listas na Bíblia. Infelizmente, a igreja ao longo de sua história, deu mais ênfase a três dons apenas (línguas, profecias, e curas). Para mim, esta ênfase mostra mais um desejo de ser admirado do que de edificar a igreja de Jesus. Há inclusive denominações e doutrinas que pregam que se você não tiver o dom de línguas, você não é batizado no Espírito Santo. Ou seja, você é um cristão de segundo categoria.
Nós cremos que no momento da conversão, recebemos o Espírito Santo em Sua plenitude, ou seja, somos batizados com o Espírito. E recebemos também pelo menos um dom. Além disto, a Bíblia manda que busquemos outros dons, que busquemos os melhores dons. Eu aprendo que eu posso pedir a Deus por um dom específico. Se eu tenho a motivação correta, eu posso pedir a Deus o dom de línguas, posso pedir o dom de interpretação de línguas. Posso pedir a Deus outros mais importantes como a profecia e outras mais simples como o exercício de misericórdia.
Contudo, o nosso texto é bastante específico com relação aos dons. Paulo lista apenas 5 dons. Estes cinco dons, todavia, são os dons responsáveis pelo ensino do corpo, pela preparação dos santos para a obra do ministério.
E minha pergunta é:


2. Quais são os dons que preparam os santos para o ministério? (v.11)
Em apenas um versículo, Paulo lista os cinco dons de ensino da igreja.
Vamos ver rapidamente algumas características destes 5 dons:


a) Apóstolos:
Existem três significados diferentes para a palavra apóstolo na Bíblia. 1) enviado – Em João 13:16 lê-se, “O servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado (apostolos) maior do que aquele que o enviou.” Neste sentido, todo crente é um apostolo pois todo crente precisa ser servo e enviado. Mesmo que não seja enviado para outro país, região, povo, você é enviado para o seu círculo de relacionamento, seu bairro, seu emprego, etc. Todo crente é enviado como embaixador de Cristo. No contexto de Efésios, Paulo não está falando deste tipo de apóstolo, pois o texto é claro quando diz que Jesus designou apenas alguns como apóstolos. 2) Outro significado de apostolo vem daqueles que foram comumente chamados de “apóstolos das igrejas” Em 2 Coríntios 8:23 está escrito, “quanto a nossos irmãos, eles são representantes das igrejas e uma honra para Cristo.” A palavra representante aqui está traduzindo a palavra grega apóstolos. Estes eram um grupo de mensageiros enviados por alguma igreja. Normalmente, eles ajudavam a terceira categoria de apostolo que são os: 3) “apóstolos de Cristo” – estes sim, eram um grupo muito pequeno e distinto de cristãos, neste caso estão incluídos os 12 apóstolos (Matias que substituiu Judas), Paulo, Tiago e possivelmente um ou dois mais. É provavelmente este grupo ao qual Paulo está se referindo aqui.
Se aqui, Paulo se refere aos apóstolos de Cristo, então não existem mais apóstolos hoje. Eles são considerados os meios pelo qual Deus revelou a Sua vontade para a igreja. O mais próximo, contudo que temos hoje do trabalho que os apóstolos de Cristo realizaram talvez seja uma obra missionária pioneira, ou implantações de igrejas em áreas pouco alcançadas pelo evangelho.
Os autodenominados apóstolos de nossos dias, não são detentores deste dom que Paulo está falando. O simples fato de colocar este dom à frente dos demais dons já mostra que ele estava falando de uma categoria única e separada para fazer aquela obra inicial de propagação do evangelho. Na verdade, os apóstolos tinham que receber um dom especial pelo nível de sofrimento que eles passavam. Ser apóstolo era sofrer mais que todos; era padecer perseguições mais que todos. Todos os apóstolos morreram pela causa do evangelho com exceção de João que morreu aos 100 anos de idade no alto de sua velhice.
Os apóstolos de hoje tem contas bancarias recheadas de dinheiro. Possuem aviões, jóias, guarda-costas. Eles são um escândalo para o evangelho e não aqueles que preparam os santos para a obra do ministério.


b) Profetas
Assim como apóstolos, os profetas foram um grupo distinto de pessoas que receberam uma missão especifica de lançar os fundamentos para a edificação da igreja. A Bíblia fala de profetas no Novo Testamento e do dom de profecia, contudo, estes não são iguais aos profetas que falavam em nome de Deus com as palavras “Assim diz o Senhor”. Durante o período do AT, os profetas serviam para denunciar os desvios do povo, orientar o povo, mostrar o caminho do Senhor.
Os profetas do NT recebem de Deus a responsabilidade de encorajar, edificar e consolar a igreja. Em Atos 15:32 diz, “Judas e Silas, que eram profetas, encorajaram e fortaleceram os irmãos com muitas palavras.”
Portanto, deve-se fazer uma distinção de quem eram os profetas do AT e quem são os profetas da igreja.
Um terceiro dom mencionado nesta lista é o dom de:


c) Evangelista
Quando penso em evangelista, logo me vem à mente Billy Graham. Ou seja, alguém que viveu sua vida pregando a mensagem da salvação em Cristo por todas as nações. O evangelista é especialista em pregar mensagens que enfatizem a cruz e que mostrem ao ouvinte sua necessidade de salvação.
Precisamos de evangelistas hoje. Principalmente neste mundo tão secularizado, onde tudo é relativo. O evangelista pregará verdades absolutas tanto em massa quanto de pessoa para pessoa, mostrando que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e eternamente.
Depois temos o dom de:


d) Pastores e Mestres
Ainda que alguns vejam Pastores e Mestres como sendo um mesmo dom. Eu acredito que são dons distintos. Pastores são responsáveis pelo cuidado e alimento das ovelhas. Neste sentido todo pastor deva ser também um mestre, ao passo que nem todo mestre precisa ser pastor.
Eu vi isto muito de perto quando vivi nos EUA. O seminário em que estudei era bastante claro de perceber os dois dons. Havia professores que eram mais pastores que mestres e outras que eram apenas mestres. Nada de errado com isso. Os professores pastores não eram melhores, mas como havia neles o dom pastoral, eles se importavam mais com a nossa vida de forma geral do que apenas intelectual. Ao ponto que os professores mestres eram um pouco mais racional neste sentido e priorizava aspectos técnicos em detrimento de outros mais subjetivos.
Às vezes em uma congregação existem outras pessoas alem do pastor com este dom. E Deus as usa para que haja o cuidado mútuo dentro da igreja.
O importante aqui para nós como igreja do Senhor é saber que mesmo que nem todos os dons estejam disponíveis para nós hoje (como o de apóstolo, por exemplo), os demais estão à nossa disposição.
Quanto mais diluído for o evangelho com a cultura, com interesses econômicos, com a apostasia dos últimos tempos, com a falta de amor mútuo, com interesses pessoais, MAIS vai existir a necessidade de se buscar os dons do ensino para a edificação e capacitação dos santos para o ministério.
Precisamos de uma geração de profetas, evangelistas, pastores e mestres que estejam comprometidos com o evangelho e com o Senhor do evangelho.
A igreja brasileira passa por uma crise sem igual. Somente a história irá mostrar o tamanho da irrelevância e estagnação da igreja em nosso país. Precisamos buscar os dons que podem mudar esta situação.
E porque devemos buscar estes dons hoje? Quais são os resultados do uso efetivo destes dons?


3. Quais os resultados práticos para a igreja quando estes dons são usados. (vs. 12-16)
Logo de cara o apóstolo nos dá 5 razões para implorar a Deus por estes dons.
a. Preparar os santos para a obra do ministério;
b. Para a edificação do corpo de Cristo;
c. Para alcançar a unidade da fé e do conhecimento de Cristo;
d. Para chegarmos à maturidade como cristãos; e
e. Para que não sejamos como crianças inconstantes e influenciadas.
Esta lista completa infelizmente não se vê muito hoje em dia. Paulo sabia da importância destes dons para que a igreja crescesse saudável e cumprisse a sua missão na terra.
Não há igreja genuinamente cristã sem que o serviço seja colocado em prática. Estes dons, contudo, leva cada um de nós ao serviço. Servir um ao outro, servir a comunidade, trabalhar com afinco a fim de ver uma igreja relevante no bairro ou na cidade em que vive.
Aparentemente os resultados destes dons servem apenas para o crescimento interno, ou seja, crentes mais maduros e igrejas mais fortes. Contudo, uma vez atingido este objetivo, a igreja terá muito mais condição e força para ir com mais eficiência e resultados.
A proposta de Paulo aqui é justamente uma igreja que começa servindo aqui dentro. Aprendendo que a nossa vida não é para nós mesmos mais para ser gasta em serviço ao próximo e a partir daí, levamos este ensinamento para a sociedade em geral. Assim como Jesus veio para servir e para dar Sua vida em favor de muitos, nós também devemos servir uns aos outros dentro e fora de nossa comunidade.
Jesus é o nosso maior modelo de serviço. Ele que poderia ordenar os anjos para servi-lo, não fez prerrogativa de sua divindade e apenas serviu. Se Jesus (o próprio Deus encarnado) veio para servir, quanto mais nós, seguidores dele.
Este serviço inclui do líder ao mais recente membro de nossa comunidade. Portanto, devemos ter em mente que a igreja não pode ser construída no modelo de pirâmide, pois não existe ninguém acima de ninguém. Outro modelo que devemos abolir é o modelo do ônibus, onde o motorista é o pastor e a congregação vai sendo levada para onde o pastor quer sem nenhum serviço real a fazer.
O modelo proposto por Paulo é o do corpo. É aqui onde encontramos um modelo coerente com a proposta do serviço cristão. Ou seja, Cristo é a cabeça e todos nós somos os membros. Não há mais hierarquia ou nível de importância. Somos todos iguais e necessários dentro do corpo.


1 Coríntios 12:12-27, “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo. Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito. Porque também o corpo não é um membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo. E se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo. Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora, porém, há muitos membros, mas um só corpo. E o olho não pode dizer a mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós. Antes, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários; e os membros do corpo que reputamos serem menos honrados, a esses revestimos com muito mais honra; e os que em nós não são decorosos têm muito mais decoro, ao passo que os decorosos não têm necessidade disso. Mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela, para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros.”
A visão de Paulo para equipar e edificar a igreja vem de um serviço mútuo onde somos todos iguais e de igual importância.
E assim, cada um se utilizando do seu dom, do seu ministério, da sua porção dentro do corpo, o corpo cresce em tudo. Esse crescimento, contudo, não significa necessariamente numérico, mas sim, em aspectos dos mais diversos.
Crescimento em amor, crescimento em serviço, crescimento em relevância social, crescimento em obras, crescimento em fé, crescimento da comunhão, crescimento da unidade, crescimento em tudo NO SENHOR.
Você tem um ministério, um dom, que deve ser usado para edificação do corpo. Esse dom que Deus te deu não pode ser usado de modo EGOÍSTA, ou seja, para satisfazer seus desejos ou interesses, mas de forma ALTRUÍSTA, ou seja, para servir ao próximo.
Por fim, Paulo nos diz que o propósito é para não sermos como crianças. Jesus quer que tenhamos a inocência de uma criança, a pureza de uma criança, a humildade de uma criança, CONTUDO, sem a sua ignorâncianem sua instabilidade.
Veja que Paulo fala de ventos de doutrina, astúcia, esperteza de homens que induzem ao erro. Quantas igrejas estão repletas de lobos em pele de cordeiro? Quantas igrejas já corromperam tanto o evangelho que quando alguém sério quer pregar o evangelho de verdade este soa como algo estranho.
Infelizmente isto está acontecendo diante de nossos olhos. Estamos vendo o povo ser enganado. Estamos vendo líderes deturpando a mensagem para conseguir levar vantagens financeiras e outras coisas. Jesus disse que estas pessoas terão seu julgamento. Todavia é nossa responsabilidade equipar a igreja para que ela não caia nestas armadilhas. Antes ela siga a Cristo em amor e em serviço. Que ela busque crescer nEle e fazer a Sua vontade.
Novamente eu pergunto qual o seu dom? Quando você se omite de colocar em prática o seu dom, o corpo inteiro sofre.


Que Deus nos ajude!
Oremos.

2 comments:

Diogo said...

Olá Pr. Rodrigo. Essa pregação foi muito boa: expositiva, edificante e prática! Além disso, também foi muito bom conhecer vocês. Grande abraço!

Rodrigo Serrao said...

Obrigado Diogo. Gostaria muito de re-ver o irmao e sua esposa. Que Deus os abencoe grandemente.