Google
 

Monday, August 25, 2008

Teologia – ontem, hoje e sempre


Gosto muito de teologia. Na verdade, esta área do conhecimento se tornou parte da minha vida desde o início da minha conversão. Foi esta paixão ao estudo da Bíblia e depois à teologia em si, que me ajudaram a discernir o meu chamado ao ministério. A teologia cristã é tão antiga quanto o cristianismo. Ela é filha das missões de Paulo e dos demais apóstolos. Ela nasceu para explicar os porquês (dúvidas) daqueles que criam no evangelho de Jesus Cristo. Ela nasceu como uma forma de se explicar aquilo ao qual estava sendo revelado por Deus aos homens. Por um tempo restrito na história humana, a teologia escrita por Paulo, Pedro, João virou Palavra de Deus. Contudo, após esse início da revelação escrita pelos apóstolos, o restante da teologia (do segundo século em diante) passou a ser a interpretação desta revelação. A teologia dos apóstolos virou Palavra de Deus, a teologia que seguiu após este período virou comentário e interpretação.

Entender este processo é imperativo para aqueles que amam o estudo teológico. Pois ao contrário, corremos o risco de igualar as diversas teologias existentes e elaboradas nestes dois mil anos de história da igreja com a suma teologia chamada de Novo Testamento. Porém, infelizmente a história tem provado o contrário. Ou seja, teologias que se igualam em autoridade com a Palavra de Deus. O que decorre disto é a elevação de tradições humanas sobre as Escrituras. Devemos entender que teologia é humana, porém, a Palavra de Deus é divinamente inspirada.

Os reformadores tinham como parte de suas teologias o conceito de que a igreja não poderia congelar em suas tradições, mas estar sempre reformando (ecclesia reformata et semper reformanda est). Infelizmente, a abertura para novos conceitos teológicos parecem não ser muito bem aceitos em algumas igrejas. A teologia se tornou igual a Palavra de Deus e querer aventurar-se em uma nova interpretação pode ser considerado um grande erro ou uma heresia. Para muitos, querer dar nova interpretação ao texto significa querer mudar a verdade. Ou seja, a verdade para muitos deixou de ser a Palavra de Deus e passou a ser a teologia dos homens.
Muitos cristãos fecharam suas mentes para qualquer novidade no campo teológico e rejeitam qualquer idéia nova (mesmo que seja uma interpretação mais acurada do texto bíblico), negando a parte do "slogan" dos reformadores que diz que a igreja deve estar “sempre reformando.”
Sei que este assunto dá muito “pano para manga,” contudo, a minha intenção aqui é apenas fazer com que repensemos sobre a posição de alguns dogmas da igreja que são mantidos apenas por mera tradição.

A minha intenção não é descartar a importância da teologia, nem questionar ensinos dogmáticos apenas por questionar. A minha intenção é fazer com que olhemos para Bíblia sempre com olhos refrescados pelo Espírito Santo, buscando extrair da Palavra de Deus relevância para a vida das pessoas desta geração. E para que isto acontença, precisaremos passar por um processo de des-condicionamento mental e teológico ao nos aproximarmos da imutável Palavra de Deus.
Muito já foi escrito e interpretado acerca da Palavra de Deus. Contudo, não devemos ser preguiçosos ao ponto de apenas repetirmos credos e dogmas. Creio que o Espírito de Deus ainda tem muito o que iluminar nas mentes de homens e mulheres tementes à Deus. Deus não deixou de agir no meio do Seu povo, ainda tem lugar para novas e divinamente iluminadas teologias.

Rodrigo Serrao
Foto tirada do site: www.monergism.com

1 comment:

Adriana Serrao said...

Pense num homem que escreve bem!!

Te amo marido!
Bjos

ps:depois faco meu comentario, i don't have time now!